sábado, 15 de julho de 2017

O Julgamento de admissibilidade na CCJC da Câmara Federal





Acompanhei a votação na Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Câmara Federal (CCJC) que discutia a admissibilidade ou não do processo contra o presidente Michel Temer pelo Supremo Tribunal Federal. Foi um espetáculo que em determinados momentos era cômico se não fosse trágico e uma coisa séria, em outros dava pena de ver até que ponto o ser humano (politico) se rebaixa tanto pelo Poder e pelo dinheiro não possuindo nada no que se diz ética e moral e ainda em outros momentos um maior entendimento da razão de muitos  detestarem a politica e os políticos. Enfim, assistir a sessão  na CCJC foi uma excelente aula de como é o mundo politico para que possamos sair da ignorância de quem é o politico e de fato tenhamos conhecimento de quem são estes personagens.

Primeiro: o politico não tem ética e nem moral, ou seja, pelo Poder e pelo dinheiro fazem qualquer negocio.

Segundo; o politico não tem lado definido, ele é um jogador do lado que está ganhando no momento e o que menos importa para ele é o pensamento da sociedade até o instante que dela (sociedade) precisar.

Terceiro; para o politico os meios justificam os fins, independente a sua consciência, isto é, para atingir seus objetivos vende sua alma para o demônio.

Evidentemente, este comportamento do politico é devido ao seu caráter que de certa forma, é o caráter do ser humano de uma maneira geral, ou seja, infelizmente, o ser humano na sua grande maioria é egoísta e para atingir seus objetivos é capaz de qualquer coisa e é por isso que existe a Lei, isto é, são as Leis que condicionam e freiam as ações das pessoas.

Voltando a sessão da CCJC o que se via lá! Os que eram favoráveis a admissibilidade do processo encontravam mil razões e milhares de argumentações plausíveis para aprovarem o encaminhamento do processo para o STF iniciar as investigações e o julgamento. No entanto, muitos deles se enfraqueciam pela atuação no processo de afastamento da ex-presidente Dilma, já que que foram ferrenhas em defenderem  a permanência dela na presidência.

Já os que defendiam Michel Temer, estes eram verdadeiros patéticos querendo justificar o injustificável, defender o indefensável. Estes ofenderam a inteligência dos brasileiros, rasgaram as mascaras que os cobriam suas caras e escaram para a sociedade seu verdadeiros caráter. Pois, a simplesmente, negação de investigar o presidente já os colocou do lado dele nas atitudes e ações, ou seja, negando a investigação anteciparam que são corruptos potenciais no mínimo.

Em suma, assistir a sessão da CCJC re, foi uma aula de cidadania ainda que, fosse como uma aula de anatomia, isto é, uma aula de dar nojo e para quem tem estomago forte. No entanto, foi uma aula de grande aprendizado para se conhecer de forma mais profunda quem é a pessoa do politico como também como é o ser humano quando a questão envolve Poder e o dinheiro.


Praticar a democracia por meio de voto é um direito que a sociedade não pode abrir mão dele. No entanto, é preciso conhecer as entranhas da politica e da personalidade do politico para que ao escolhermos candidatos não sejamos iludidos pela sua oratória e pelo dinheiro que está por trás dele e ter a consciência que ele na sua essência é ser corrupto (com raríssimas exceções). Ter também a consciência de que todo o bem que ele promover para a sociedade haverá sempre um interesse maior que não é a sociedade, mas sim, interesse pessoal ou para determinados grupos. Enfim, a sociedade precisa conhecer de como funciona o mundo politico em seu bastidor e a aula da CCJC foi importantíssima para nos ensinar que votar bem é necessário votar com a razão e não com a emoção. Ou seja, politica não pode ser paixão.

Ataíde Lemos  

domingo, 2 de julho de 2017

Os políticos e a sociedade



Observo como os políticos se apresentam ao povo e fico admirado pela forma arrogante, prepotente e dissimulada que fazem seus discursos como se as pessoas fossem alienadas e de um QI de terceira categoria.

Pois bem, eles se apresentam como deuses, somente falando de suas qualidades e feitos, bem como, usando dos temas atuais para auto se promoverem como pessoas dignas e imaculadas e ainda, defendendo a sociedade aprovando as ações que visam a depuração a classe politica. Enfim, todas estas encenações são diante a plateias, pois, nos bastidores é totalmente o contrário. Enfim, sintetizando diria que são demônios revestidos de deuses – evidentemente com raríssimas exceções.

Por que iniciar o artigo neste teor? Vamos lá: Primeiramente, é preciso dizer que o politico é uma pessoa estranha feita pela mídia e pelo dinheiro que o cidadão lhe dá a chave do cofre do município, do Estado e da União para que faça o que bem quer com os recursos financeiros e ainda lhes dite as regras as quais deseja impor a sociedade aparentemente revestida de democrática.

Segundo; o político não gasta R$0,01 centavo de seus recursos próprios, pelo contrario, é a sociedade que paga o seu cafezinho e o cafezinho que ele oferece aos seus amigos como também os banquetes, viagens, etc. etc... No entanto, ele se apresenta para a sociedade dizendo Eu fiz; eu gastei, eu paguei. Enfim, eu, eu, sempre eu...

A politica é um mal necessário, bem como o político também o é, no entanto, é preciso que a sociedade o veja com um novo olhar, ou seja, como um funcionário que é muito bem pago para fazer o mínimo que é gerenciar, legislar e criar politicas públicas os quais a sociedade será beneficiada como serão também beneficiados seus parentes de 1º,2º, 3º grau e gerações futuras. Isto é, ele faz para o povo e para si próprio.

Enfim, o cidadão precisa se valorizar deixando de ser levado pela hipocrisia daqueles que usam de seu dinheiro de impostos e se autodeterminam donos do País e da situação e aprendam a questionar as condutas e atitudes dos políticos. Um País só se torna melhor com uma sociedade mais critica e menos condescendente. Uma sociedade que se valoriza mais e seja menos infantil, ilusória e hipócrita.

Ataíde Lemos

Poeta e Escritor 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O Dilema



Os brasileiros vivem um dilema, por um lado, saíram às ruas pedindo a saída de Dilma e do PT do Poder. Uma reivindicação justa e necessária já que estes quebraram o Brasil.

Pois bem, nesta ânsia de retira-los do Poder, as pessoas foram às ruas, pressionaram os parlamentares e como havia uma briga de Poder nos bastidores do Legislativo, articulado pelo então  vice-presidente da época Michel Temer os brasileiros conseguiram o afastamento de Dilma e do PT.

Porém, esta vitória dos brasileiros era ilusória, já que Michel Temer, juntamente com uma ala do PMDB, é responsável juntamente com o PT e outros aliados pelo caos que se encontra o País, pois, eles também eram aliados do PT na roubalheira.

Analisando a atual situação o que podemos deduzir é que o feitiço virou-se contra o feiticeiro. Ou seja, o PMDB articulou-se para derrubar o PT, agora vemos a articulação do PT para dar o troco no PMDB e em especial Michel Temer que, segundo o PT, foi o mentor do “golpe” do impeachment  e novamente tentando voltar ao Poder.

Quando abrimos as redes sociais vemos dois grupos, um querendo eleições diretas, na esperança de que por meio dela o PT retorne com Lula e outro grupo, querendo defender Michel Temer querendo mantê-lo no Poder com medo de que Lula e o PT voltem.


Enfim, o povo brasileiro está totalmente perdido e alienado, não sabe se deixa Temer continuar o mandato ou deseja a volta o PT. Isto é, não consegue enxergar a gravidade dos fatos e nem observar que este dois grupos é uma quadrilha que se dividiu em duas facções e uma briga com a outra jogando os brasileiros no meio. 

domingo, 21 de maio de 2017

Crise politica sem precedência



O Brasil vem atravessando uma crise politica sem precedência. O único lado bom até o momento é que o País não está em guerra civil e o Poder Judiciário está mantendo o controle da situação até o momento, ainda que alguns de seus ministros estejam também envolvidos neste lamaçal junto com muitos políticos.

Na verdade, toda esta estrutura de corrupção sistêmica e endêmica pelo qual estão envolvidas as grandes empresas brasileiras, com as instituições públicas e as lideranças politicas e Partidos políticos  espalhadas nos Três Poderes da Republica, teve seu orquestramento no governo FHC e intensificou no governo Lula e Dilma.

Pois bem, como já fazem mais de 20 anos que esta teia de corrupção foi construída, a quase totalidade da liderança politica da época foram tornando-se exemplo e professores das novas lideranças politicas que foram surgindo, desta forma, hoje a quase totalidade das novas lideranças politicas e também instituições públicas estão envolvidas nesta enorme teia de corrupção. Ou seja, o Brasil vive hoje uma situação incontrolável e que dificilmente se conseguirá encontra-se uma solução ainda que mude a liderança, pois, quem estiver no Poder certamente, estará envolvido em algum delito ilícito.

Penso que a maneira mais adequada e racional para sairmos do imbróglio em que o Brasil se encontra é: a saída de Temer pela sua renuncia ou cassação da chapa Dilma/Temer pelo STE – já que pelo o processo de impeachment só vai sangrar o país ainda mais – e com a saída de Temer, transcorra por via indireta eleição de um nome para um período tampão até as próximas eleições. Assim, estará se cumprindo a Constituição Federal.

Este novo presidente da republica (Tampão), deveria ou ser um parlamentar ou algum outro nome da sociedade civil, porém, alguém que tenha somente a incumbência para transpor este período até as novas eleições, deixando as reformas polemicas para o novo mandatário. Enfim, um presidente que seja um pacificador. 

Ainda que saibamos que há necessidade de reformas estruturais para a geração de empregos e adequação dos cofres públicos, o período por que passa o Brasil não é o momento certo e nem o futuro presidente e o Congresso Nacional possui legitimidade para fazê-los.

Ataíde Lemos

Escritor & Poeta 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

A corrupção e o aprendizado para os brasileiro



Os brasileiros encontram-se atônitos com o que estão assistindo nos telejornais brasileiros e a cada novo noticiário a ânsia de vômitos e a revolta é maior por ver a realidade em que o Brasil atravessa seja pelo desemprego, pelo endividamento da população, pela saúde que está um caos, enfim, tantas mazelas pelo qual  o País está vivenciando devido esta corrupção desmedida envolvendo a cúpula dos dirigentes políticos do Brasil.

Embora, devemos acreditar na justiça brasileira, certamente, a punição da lei a estes demorará muitos anos e vários devem sair impunes disto tudo, no entanto, vejo que a punição verdadeira virá com a execração pública que já começa haver a estes pelos vídeos que estão sendo divulgados com a autorização da justiça.

Muitos podem até dizer: esta execração pública é muito pouco e o dinheiro que eles roubaram do povo brasileiro? Pois, bem, este dinheiro certamente, se retornar aos cofres públicos serão mínimos, porém, a grande penalidade para eles é a saída da vida pública, pois, estes jamais conseguirão voltar novamente a exercer cargos eletivos.  Acredito que estes políticos corruptos envolvidos neste escândalo de corrupção perderam a total confiança dos cidadãos brasileiros e tornaram-se uma vergonha para o povo e para os seus, pois, penso que este corruptos têm em seu núcleo familiar entes de caráter que jamais concordem com os atos que foram praticados por eles.

Portanto, é fundamental que os brasileiros levantem a cabeça e acreditem na justiça e que ela será feita, porém, de todo este mal tire um bem, que é conscientização de que votar é sério e exige muita responsabilidade de cada eleitor.

Quantas vezes já ouvimos dizer que é preciso observar as companhas eleitorais milionárias dos candidatos? Ainda que seja um alto valor que um politico recebe, é notório que o seu gasto numa campanha politica é incompatível com seu rendimento! São campanhas altamente milionárias e que somente podem ser custeadas com recursos ilícitos.  

Outra coisa fundamental é os brasileiros concretizarem que os políticos são grandes atores. Na plateia são adversários, inimigos, etc, porém, nos bastidos são todos amigos e buscam os mesmos fins que é o Poder, o dinheiro e isto vem de quem detém o dinheiro que são as empresas e os cofres públicos, portanto, aumenta ainda mais a responsabilidade do eleitor.


Ataíde Lemos 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Eleições Gerais já



O Brasil vive uma crise politica e de corrupção sem procedência após a ditadura. Crise esta, que envolve quase  1/3 do Poder Executivo e Legislativo, aonde os envolvidos são lideres políticos os quais são responsáveis para a condução tanto das casas legislativas como  políticos que estão alocados no Executivo em Ministérios importantes que determinam o rumo do País.
  
O que fazer diante disto? É uma pergunta difícil de responder já que para esta questão serão necessárias medidas radicais e que certamente, precisará da ação firme da sociedade civil por meio de pressão popular com o apoio do Poder Judiciário e daqueles políticos sérios que ainda restam.

A divulgação de tantos nomes de políticos de expressão envolvida em crime de corrupção que serão investigados, haverá uma paralização nos poderes legislativo e executivo ocorrendo assim uma paralisação no Brasil que continuará sangrando até as próximas eleições. 

Para que isto não ocorra é fundamental uma mudança já. Ou seja, é preciso uma Reformar Policia com urgência, para que isto aconteça é necessário  que o Brasil passe por eleições gerais aonde a população elegeria novos dirigentes para o Brasil nos dois Poderes (Legislativo e Executivo) e também uma eleição conjunta de grupo de notáveis (não partidários) para redigir uma Reforma Politica.

A crise econômica que provoca caos social devido o alto índice do desemprego como a crise politica instalada no Brasil está mais que caracterizada pela corrupção no País, aonde imensa parte do que se arrecada serve para irrigar o bolso dos políticos  e dos partidos políticos visando o enriquecimento ilícito, o fortalecimento dos partidos políticos e a perpetuação dos mesmos no Poder  em detrimento da penúria do povo brasileiro. Portanto, somente uma nova legislação com leis mais severas para aqueles que exercem cargos públicos eletivos e leis que darão mais transparências e rigor àqueles que usam do Poder para enriquecimento ilícito ( políticos de ambas nos ambos Poderes constituídos), feito por pessoas que não se servirão delas para se beneficiarem (a não ser como cidadão), o Brasil poderá trilhar um novo caminho.

Ataíde Lemos

(Poeta e escritor)

sexta-feira, 17 de março de 2017

Manifestações contra as Reformas




É preciso separar as manifestações que ocorreram para destituição do governo do PT, aonde a população brasileira se uniu e foi as ruas pedir o fora Dilma das manifestações que começam novamente ocorrer contra as reformas da Previdência Social e trabalhistas. Ou seja, são manifestações distintas.

As Manifestações que pediram a saída do governo petista teve como foco principal a saída de um governo corrupto que quebrou o Brasil devido corrupção, um desgoverno que para manter-se no Poder permitiu que o país quebrasse.

Evidentemente, também teve as manifestações a favor do governo, algo que é legitimo numa democracia, porém, a pressão dos que eram a favor do Brasil foi vitoriosa e o governo petista caiu.

Agora começa surgir novamente as manifestações populares contra as reformas que este atual governo deseja fazer. Reformas (Reforma da Previdência Social e Trabalhista) estas vêm em desfavor do povo brasileiro.

A sociedade brasileira está se unindo novamente, agora, com o apoio daqueles que nas manifestações anteriores eram a favor da manutenção do governo petista, só que a pauta é totalmente distinta. Ou seja, a sociedade como um todo está se unindo para dizer não ao que o governo Temer quer fazer os brasileiros engolir goela abaixo.

Na verdade a reforma da Previdência Social, o governo pretende “extinguir” a aposentaria por tempo de serviço para a aposentadoria por idade, este é o fato ao estipular uma idade mínima para  o cidadão aposentar-se. 

Este tipo de proposta inviabiliza e desestimula o cidadão contribuir com a previdência é mais que obvio. Por que uma pessoa vai contribuir com a previdência social se ele não vai se aposentar por tempo de contribuição?

Então, alguns podem dizer: ah! Mas ele pode ficar doente, ou mesmo, as empresas são obrigadas a registrarem seus funcionários e desta forma todos continuarão contribuir com a Previdência. Realmente estes argumentos são fortes, no entanto, é evidente que também haverá mais empregos informais aonde as pessoas não contribuirão com o INSS. Haverá mais migrações para a Previdência privada e outras formas utilizadas para as pessoas deixarem de contribuir. Ou seja, “eliminar” a aposentaria por tempo de contribuição será mais prejudicial para o governo e para os cidadãos brasileiros.

Acredito que o problema do rombo financeiro na Previdência Social é mais de ordem administrativa e de gerencia do que de recursos financeiros. A sociedade toda contribui com o INSS.: os empregados, os empregadores, etc. porém, a  Previdência Social é um saco sem fundo, quanto mais entra dinheiro mais saem através de diversas formas como, por exemplo, corrupção, pagamentos indevidas, etc, etc.

É importante ressaltar que também quanto mais aumenta o desemprego, mais diminui a entrada de dinheiro para a Previdência Social. Portanto, a sociedade não tem culpa e não pode ficar com o ônus deste desgoverno. A sociedade não pode sempre ser penaliza com perda de benefícios, com aumento da carga tributaria pela incapacidade e desvios morais  de seus governantes. É preciso dar um basta e é por isso que a sociedade brasileira está se unindo e voltando as ruas contra tais reformas.

Finalizando, se a sociedade mobilizar-se contra as reformas o governo perderá esta batalha, pois, ainda que os congressistas sejam conchavados com o governo, eles tem compromisso que com o eleitor, afinal, é o eleitorado que os elegem.

Ataíde Lemos
Poeta & escritor