domingo, 8 de abril de 2018

A prisão de Lula



Começaria dizendo que o mês de Abril é histórico para o Brasil, sempre com acontecimentos relevantes que marcaram nossa história como: o descobrimento do Brasil; Dia do Índio; a Inconfidência Mineira; morte de Tancredo Neves entre outros. Agora temos mais um fato que também marcará na história: o mês que foi preso o primeiro presidente da republica Luiz Inácio Lula da Silva (Lula).

Pois bem, Lula é inocente? Evidentemente que não. Na verdade, sua prisão já deveria ter ocorrido há anos atrás, desde o episódio do Mensalaçao. Só mesmo um apaixonado por Lula ou alguém descomprometido com o Brasil poderia acreditar que Lula não sabia de nada do que ocorria na sua antessala e com seu Ministro de confiança, seu amigo pessoal de décadas e décadas e além de amigo seu confidente.

O episódio do Mensalão, maculou a imagem de Lula para muitos dos que acreditavam nele. A sua queda começou naquele episódio aonde ele negava tudo dizendo não saber de nada. Pois, bem, tudo aconteceu, houve varias prisões, inclusive de seus amigos pessoais e Lula continuou firme em seu proposito tanto na estrutura de Poder como na corrupção para tal e para o seu enriquecimento ilícito.

Com a eleição de Dilma, Lula continuou comandando o Poder por meio de dela, mas fora dele legalmente, porém, tornou-se presa mais fácil para que a justiça pudesse exercer de maneira mais plena e consistente seu exercício e com possibilidade real de prendê-lo. E assim, veio o caso da Petrobras, uma corrupção infinitamente superior ao do Mensalão, aonde todo o esquema foi desmontado e com a prisão de empresários, políticos e vários outros agentes públicos.

Alguns indignam quando se fala que Lula era o chefe da organização criminosa. No entanto, deixo uma pergunta para a reflexão: um presidente da Republica que sabe do que está acontecendo; que está envolvido no roubo o que ele é? Certamente, ele é o líder da quadrilha, ou seja, quanto maior o cargo, maior é a responsabilidade e desta forma, não há como negar que Lula era o chefe e comandante de todo este esquema de corrupção que houve.

Finalizo o texto da forma como iniciei, Abril é um mês histórico, porque grande parte dos brasileiros vê a justiça sendo feita. Porque se sente com a alma lavada. A prisão de Lula é um novo marco. Certamente, a prisão de Lula é o inicio de muitas outras que se sucederão como as de políticos poderosos tais como a do atual presidente que ocorrerá mais certo o mais tarde e tantos outros.

Ataíde Lemos

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Ídolo para uns e vilão para outros

Resultado de imagem para lula




Ídolo para uns e vilão para outros, assim é Luiz Inácio da Silva (Lula). Um cidadão pobre que nasceu no sertão nordestino, cuja história o Brasil conhece.

Cidadão que ingressou na carreira politica no tempo da ditadura e pouco a pouco foi conquistando seu espaço no cenário politico pela sua oratória populista no período da redemocratização do Brasil. Independente, sua índole, seu caráter, é inegável que é um grande politico de fazer inveja a muitos outros. Um politico persistente, que sempre teve uma meta que era ser presidente do Brasil.

Sua habilidade em aglutinar multidões e falar o linguajar dos mais humildes foi conquistando espaço políticos conquistou para si seu partido políticos de expressão nacional, tanto os honestos como também os desonestos e corruptos. Também pela sua oratória persuasiva atraíram personalidades de diversos segmentos sociais como artistas, pensadores... Enfim, grandes nomes da sociedade que Lula após varias tentativas conseguiu atingir sua meta ser presidente de do Brasil.

Pois bem, o Poder fascina; o Poder contamina; O Poder para os que não são preparados emocionalmente e são ambiciosos deixa-os doentes. Assim, ocorreu com Lula. Todos seus feitos tinham como objetivo o Poder, o enriquecimento vertiginosamente e desta forma conduziu seus mandatos. Mantendo o apoio popular com politicas públicas e sociais visando satisfazer os eleitores e nos bastidores unindo-se aos empresários e políticos corruptos para manter seu reinado e enriquecer ilicitamente. Lula foi presidente que agradou o povo, os banqueiros e os grandes empresários sempre com discursos populistas. Ou seja, um para a plateia e outro nos bastidores.

Só que no caminho havia uma pedra e esta pedra é a pedra Divina que nos dá liberdade até um determinado momento e depois de certo tempo, começa a colocar as claras o que está escondido e assim se sucedeu. Ou seja, todos aqueles discursos populistas, toda aquela primavera brasileira que o Brasil vivera foi transformando em frustração, isto é, a sociedade se endividou; o desemprego surgiu e o que estava escondido debaixo do tapete (corrupção) veio à tona. Enfim, seu reinado veio a baixo

De presidente do Brasil a presidiário. Certamente, para seus admiradores Lula é um mártir, é um injustiçado e um herói. Porém, para grande parte dos brasileiros Lula é um ladrão, uma pessoa que destruiu os sonhos e a dignidade das pessoas. Lula é um ser desprezível e que deveria estar preso há muitos anos por todo o mal que causou a Nação através da corrupção.
Em suma, a história e os fatos revelarão a verdade; se Lula foi um mártir ou se de fato foi um vilão. Porém, o grande acontecimento  da prisão de Lula está numa nova concepção de Justiça, ou seja, a justiça que passa a ter credibilidade; a justiça que prende pobres, porém, também ricos. Enfim, uma justiça que está em consonância com os brasileiros que não conseguem mais suportar e conviver com a corrupção que tira dos pobres para dar aos ricos.

Ataíde Lemos

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Os seis guerreiros e heróis do Brasil




O Supremo Tribunal Federal (STF), nas pessoas dos ministros Edson Fachin (relator), Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e a presidente, Cármen Lúcia, despertaram esperança ao povo brasileiro. Seus votos contrários ao o habeas corpus (HC) em favor de Lula dá continuidade aos trabalhos da Lava-jato e de várias outras operações contra a corrupção que estão ocorrendo no País. Esta decisão de certa forma, impõe medo àqueles que sempre viveram da impunidade da Lei e com o paradigma de que o crime compensa.

O crime praticado pelos políticos sejam eles os cargos que ocupam, são crimes hediondos, porque les- pátria principalmente, atinge os mais pobres e a sociedade como um todo, pois, desviam bilhões de reais que seriam empregados na saúde, educação, segurança, transporte, desenvolvimento social, enfim, são recursos que poderia melhorar significativamente o índice de desenvolvimento do País.

Quem assistiu a votação do HC, viu a forma patética que os ministros favoráveis discorriam em favor do HC. Não pareciam ministros da mais alta corte do judiciário e sim advogados de Lula. No meu entender, pela ética e por ter sido militante do PT e apadrinhado de Lula Dias Toffoli  deveria abster-se de votar, porém, ele era imprescindível para os que defendiam Lula (seus pares).

Todos os ministros que votaram contra o HC, entraram para história do Brasil, como bravos guerreiros. Guerreiros que deixaram suas ideologias de lado; que ignoraram os presidentes que os escolheram para a corte do STF e pensaram exclusivamente no Brasil. Ministros estes que também sentem em suas carnes os anseios do povo brasileiro. Já os que foram favoráveis a Lula, também ficaram na história como traidores da Nação, como ficou na história Joaquim Silvério dos Reis. Ou seja, em favor dos poderosos traiam a Nação.

Enfim, os seis ministros que negaram o HC em favor de Lula, deram um grande passo para um novo horizonte, como eu coloque acima, devolvendo a esperança ao povo. Acenando que o Brasil tem jeito e que as instituições também são compostas de pessoas de bem. Pessoas que estão em consonância com a Lei Maior, mas, também, estão em consonância com as vozes das ruas. Como disse um determinado ministro em sua fala: o Judiciaria só tem força e credibilidade se está em sintonia com o povo e neste momento, o que os brasileiros desejam é que a Lei seja para todos, isto é, para ricos e pobres e que todo agente público ao exercer seja ele qual cargo ou posto for, trabalhe com honestidade e idoneidade. Quem elege os políticos é o povo, porém, ao elegem um politico o eleitor não está elegendo um ladrão e sim, alguém que vá trabalhar para o País, mas, se de repente é eleito um ladrão deve ser tratado como tal e estar ao crivo da lei igualmente todos estão.

Ataíde Lemos  

segunda-feira, 12 de março de 2018

Eleições 2018 II




Segundo o que se desenha nas eleições presidenciais de 2018, será uma eleição polarizada, aonde os eleitores se dividirão entre 2 polos de um lado o PT e do outro Bolsonaro.  Certamente, o PT terá um candidato  escolhido por Lula, pois, ao que se vê dificilmente Lula conseguirá se safar da Lei e do outro lado Bolsonaro, pois, para muitos ele representa a ordem e a segurança já que o Brasil além de estar num lamaçal de corrupção encontra-se totalmente com falta de segurança, os brasileiros estão a deriva, pois, a violência tomou um rumo desproporcional atingindo o País como um todo.

Olhando este cenário e caso ele se concretize, o Brasil perde e a crise se estenderá, pois, se o PT ganhar as eleições, a crise se estenderá já que grande parte dos petistas estão envolvidos em corrupção e também o novo governo moverá céus e terras para livrar Lula da cadeia, porém, se Bolsonaro vier a ganhar sua visão direitistas poderá levar o Brasil a uma crise institucional. Enfim, é lamentável que não se vislumbre um País melhor para o futuro e as eleições de 2018, não trará uma mudança esperada e que o País se necessita, pelo contrário, se afundará ainda mais.

Temos bons nomes que certamente, estarão concorrendo nestas eleições presidenciais, no entanto, devido a polarização  descrita acima dificilmente permitirá que o eleitor faça uma escolha consciente e consistente. Somente, um g grande nome poderia mudar os rumos das eleições e este nome é o de Sergio Mouro, pois, ele representa o equilíbrio das instituições; representa a continuidade da lava-jato. Represente a Lei e sem duvida é um nome que goza do apoio popular para se eleger.

O Brasil precisa de um presidente que tenha o respaldo popular, mas não um presidente que venha de um partido enlameado na corrupção e nem um presidente com uma mentalidade direitista e dos anos de chumbo.

Há um candidato até que não é ruim que é Geraldo Alkmin, porém, elege-lo é ressuscitar FHC, um ex-presidente que a grande maioria dos eleitores rejeitou e continua a rejeita-lo. Eleger Alkmin é ressuscitar Aécio Neves, um politico que está moribundo. Enfim, eleger Alkmin é a renovação do mesmo levando ao Poder todos aqueles que estão sujos pela corrupção como, por exemplo, a cúpula do o MDB e os cacifes deste partido e outros que estão todos sobre judicie no STF.

Finalizando, as eleições de 2018, especialmente, para presidente dente ser uma frustação para aqueles que desejam um País melhor. Precisamos de um presidente que seja pacificador; que seja moderado e não tenha seu nome envolvido com escândalos de corrupção e que tenha respaldo político para fazer com que o Brasil avance e comece a virar a sua página.

Ataíde Lemos

domingo, 14 de janeiro de 2018

Temer e MDB cabos eleitorais de Lula



Quando Dilma caiu, junto com ela caiu Lula e PT, Lula era uma carta fora do baralho como candidato a presidente da republica, seu nome caiu na desgraça com o seu envolvimento direto na Laja-Jato. Pode-se dizer até que a queda de Dilma foi motivada pelo envolvimento de Lula e o PT no escanda-lo da Petrobras, aonde o povo por meio de protestos e pedindo o fora Dilma colaborou para a articulação de Temer e o PMDB assumirem o Poder.

Porém, Lula acabou sendo salvo e tendo seu nome novamente no topo das pesquisas e continuará a crescer quando as grandes parcelas dos brasileiros descobriram de que o afastamento de Dilma, embora fosse necessário, foi um “golpe” articulado e não de fato um ato que colocaria o Brasil nos trilhos da moralidade, pois, seu sucessor e a grande maioria dos parlamentares aliados de Temer e seus ministros são corruptos e para somar a sociedade também está escandalizada com toda a articulação politica que foi montada pelo presidente e seus aliados para salva-lo da cadeia. Enfim, o escândalo de Temer e seus aliados corruptos minimizou a corrupção do PT e de Lula.

Para ajudar o crescimento de Lula nas pesquisas este governo e seus aliados, insistem em aprovar medidas que vão contra a sociedade como leis que prejudicam os trabalhadores como a Reforma Trabalhista e a da Presidência Social. Para se somar a estas medidas antipopulares ainda tem os altos reajustes na Energia elétrica, nos combustíveis, no gás de cozinha. Portanto, este governo é o grande cabo eleitoral que Lula precisava para conquistar os eleitores e se redimir de sua roubalheira, sendo perdoado, pois para imensa maioria dos brasileiros se Lula roubou ele foi bom para eles, e no caso de Temer e o PMDB, além de roubar está sendo ruim para a sociedade.

Um discurso errado do governo o qual ele procura conquistar a sociedade induzindo-a é tentar vangloriar da baixa da inflação. É verdade que a inflação está baixa, mas, não pelos méritos deste governo e sim pela crise do desemprego e pela necessidade que as empresas têm de sobreviver, pois, os preços dos produtos praticados pelo governo tiveram um alto índice de aumento e as empresas não conseguem repassa-los obrigando a trabalharem no prejuízo, fator este responsável pelo aumento do desemprego.

Em suma, certamente, Lula acabará triunfando nas eleições de 2018, mesmo com o governo sendo generoso com pacotes de bondades para os brasileiros neste ano eleitoral, e isto só não ocorrerá se Lula for impedido de se candidatar, fato este muito difícil de acontecer, porque dificilmente o Judiciário terá peito para  impedi-lo. Pois, muito embora, no judiciário há alguns ministros honestos e sérios o nosso Judiciário também está dividido entre os que apoiam Temer e os que são lulistas.


Ataíde Lemos 

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Sociedade e as eleições



Gostaria de iniciar este artigo político com uma pergunta de Jesus “pode uma arvore ruim dar bons frutos”?

Pois, bem, quem é o político senão um fruto da sociedade? Então, se pergunta: como melhorar o Brasil se quem precisa ser melhorada é a sociedade? Esta é a grande realidade brasileira. Dificilmente, teremos uma classe política melhor nas próximas eleições, porque se muda o remendo, mas o pano continua velho, portanto, será apenas troca de remendo e uma esperança utópica, pois, a sociedade continua a mesma.

Deixo aqui um questionamento simples e prático para exemplificar: se na sua cidade há um prefeito que esteja fazendo grandes realizações juntamente, com uma câmara de vereadores atuante, porém, estejam promovendo corrupção, quantos eleitores não votarão neles novamente? Acredito que poucos eleitores na hora de votar priorizarão a ética, a postura moral e os valores destes candidatos, pois a imensa  os reelegerá, porque para muitos o que levará em conta na hora do voto será suas realizações e não os desvios de dinheiro e conduta.

Usando este exemplo municipal se estende a todos os níveis de eleições seja ela estadual ou federal. Infelizmente, o que menos conta para a imensa maioria da sociedade é a honestidade do politico e sim, o que ele realiza e seus marqueteiros usam como embalagem para cada um.   

Enfim, a politica é isto; um jogo da maioria contra a minoria e infelizmente, a maioria dos eleitores são arvores pobres e por isto produzem esta qualidade ruim de politicos que temos.

Como veremos neste ano de 2018, haverá uma mudança brusca de comportamento da classe politica; haverá pacotes de bondades do Poder Executivo; muitos senadores e deputados mudarão seus discursos políticos se afinando para conquistar os eleitores. Todos aqueles envolvidos em corrupção prestarão contas para seus eleitores “dizendo” que roubaram mais promoveram benefícios e assim, serão perdoados e receberão como presente um novo mandado.

Portanto, finalizo este artigo da mesma forma que o iniciei. Não haverá uma classe política melhor enquanto a sociedade brasileira manter esta sua postura de podridão, isto é, ela necessita ser podada para serem revigoradas em seus valores e assim, priorizar como virtudes de um candidato a cargo eletivo valores éticos e morais.

Ataíde Lemos 

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Votarmos com os olhos de Deus



Fico observando como agem os políticos, suas falcatruas, como são caras de pau e como se articulam para levarem vantagens iludindo o povo que chega me dar náuseas. O pior nem é isso, o triste é que conseguem seus objetivos.

A politica é assim, sempre foi assim e  será não adianta ser utópico acreditando que isto mudará um dia, pois, a politica é feita pelas pessoas e as pessoas são assim. É uma cultura já enraizada na sociedade.

A politica é um meio de vida, aonde as pessoas ingressam nela para levar vantagens, seja ela financeira, seja ela de status ou um meio para lavagem de dinheiro. Enfim, para os que possuem pouco caráter, tem prestigio, dinheiro e tem acesso fácil ao eleitor a politica é o melhor mecanismo para se darem bem na vida.

Pois bem, com tudo isto exposto, o que fazer? Não votar? Anular o voto? Não; acredito que é o contrario, precisamos, ainda que como formiguinhas, fazer nossa parte. Pedir ajuda dos céus e usar o nosso direito que ainda possuímos e escolhermos candidatos e votarmos. Pois, a nossa indignação não nos livrará dos políticos e da política. Se votarmos ou não seremos governados por pessoas e ai fica a reflexão: é melhor escolhermos um candidato ou deixar que outros escolhem por nós? É melhor arriscarmos em escolhemos alguém que julgamos ser melhor ou permitir que políticos se elejam comprando eleitores sem caráter?

Realmente, este artigo é paradoxo, a politica nos enoja, mas ao mesmo tempo é a nossa salvação. É a oportunidade de melhorarmos a classe politica. Feliz é a Nação que ainda pode escolher seus candidatos mesmo que saibamos como a politica é suja.


O importante é que peçamos ajuda aos céus na hora de escolher um candidato e não deixamos ser levados pelas mídias, pelas pessoas, ou seja, por ninguém. Colocamo-nos em oração e pedirmos que Deus nos ilumine e não caímos em tentação pelas belas falas, pela roupagem dos lobos em forma de cordeiro. Que não pensamos em nós, mas no coletivo. Que não olhamos nas pesquisas de quem está na frente ou em ultimo lugar nos índices. Que observamos as atuações dos políticos que virão pedir seu voto em toda legislatura e não apenas no ano eleitoral, pois, certamente, nos oferecerão manjares, presentes, benefícios para conquistar nosso voto. Enfim, que observando os políticos com os olhos de Deus e não com os nossos, assim, talvez poderemos errar menos e acertar mais.

Ataíde Lemos 

domingo, 26 de novembro de 2017

Reforma politica profunda e da Lei eleitoral



É interessante como é o jogo politico eleitoral. Primeiramente, para se eleger o candidato utiliza-se de três necessidades básicas da população que são: saúde; educação e transporte, a partir daí, cria sua estratégia  para ludibriar os eleitores. Nestas próximas eleições (2018) a plataforma que a maioria deles deverão se utilizar é a corrupção, já que é a vedete do momento. Todos serão firmes combatentes da corrupção.  

Certamente, a oposição, ou seja, os candidatos a cargos eletivos contrários a este governo  como estratégia politica será  as reformas da Presidência e as mudanças na nova Lei Trabalhistas e a corrupção. Já aqueles  que apoiam o governo não tocarão no assunto das Reformas e apenas falarão sobre a corrupção e os “avanços” que segundo eles ocorreram no atual governo, avanços que certamente serão marqueteados  exageradamente por eles. Avanços, diga-se de passagem, que serão promovidos visando apenas se reelegerem, pois, serão medidas eleitoreiras que se desfazerão assim que se fecharem as urnas após as eleições. Infelizmente, é desta forma que acontece.

Os políticos conhecem os eleitores, sabem como eles votam. Votam em efeito manada; votam segundo as pesquisas; votam pensando de forma individual, etc., etc. Os políticos sabem que os eleitores tem memoria curta, como por exemplo, este governo passou dois anos subindo gás, energia elétrica e combustível, no entanto, agora já em período eleitoral ele segurará os preços ou fará pequenas reduções nos preços e usará do marketing conquistando os eleitores.  Da mesma forma, o governo deverá lançar vários projetos sociais fictícios e fará um grande marketing comprando os meios de comunicação injetando dinheiro nas mídias e conquistará inúmeros votos. Enfim, é assim, que se dão as eleições, um jogo de mentiras e seduções para enganar os eleitores e enganam.

Outra característica do jogo politico eleitoral é a demonização de candidatos que ameaçarem os políticos e partidos políticos tradicionais. Isto é,  candidatos que despontarem nas pesquisas serão demonizados pelas mídias até caírem nas pesquisas, pesquisas estas que diga-se de passagem muitas delas compradas pelos candidatos, partidos e mídias. 

Enfim, é assim que se dão as eleições, o poder do dinheiro; o poder dos partidos políticos; o poder das mídias que darão as cartas, afinal são extremamente  forte para manter determinados grupos no Poder. O eleitor é apenas um detalhe nas mãos da estrutura politica existente no País. Às vezes, mudam se algumas peças (políticos), porém, a estrutura se mantem a mesma.

Penso que a única forma de mudar esta estrutura politica seria uma Reforma Politica e Eleitoral de 180 graus. Ou seja, uma mudança de paradigma, porém, isto jamais ocorrerá porque a forma como se faz politica e como é a politica eleitoral beneficia a estrutura existente, portanto, não há o porquê de mudar.  


Ataíde Lemos 

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Primavera Lula

A crise em que o Brasil se encontra é precede de uma “Primavera Lula” se assim podemos dizer. Ou seja, após 8 anos de uma euforia aonde todos ganham: a população brasileira pobre pode sonhar com seu carro novo comprado em longos anos para pagar. A população rural com financiamentos a perder de vista para compra de tratores e equipamentos rurais; o Luz para Todos iluminando as fazendas, sítios e chácaras de graça. Grande parte da população que morava de aluguel pode comprar sua casa própria no Programa Minha Casa Minha Vida; O ProUni a todo vapor e outros programas sociais que mudaram a realidade da população media e baixa, classe C e a população rural. Ainda é preciso dizer que na era Primavera Lula, a energia elétrica, gás de cozinha, combustíveis tiveram aumentos insignificantes em relação ao atual governo.

Na Primavera Lula os banqueiros ganharam o que quiseram, bem como as grandes empresas como, por exemplo, JBS e tantos outros grupos empresariais como as construtoras. Foi um período de grande euforia para os grandes empresários porque teve todo o apoio do governo desde que dessem a ele seu quilate, seu quinto para manter-se enriquecendo por meio da corrupção.

Também na Primavera Lula, os políticos nunca roubaram tanto, ou seja, enriqueceram de forma vertiginosa que a cada vez que a Policia Federal investiga algo é como se encontrasse uma nova jazida só que é de corrupção.

Enfim, olhando por este ângulo: quem não quer o volta Lula? Todos querem; a população mais pobre, a classe média; os grandes banqueiros e empresários; os políticos. Ou seja é um volta Lula geral.

A grande verdade, é que a maioria das pessoas não está preocupada com a corrupção, com os desvios de caráter eles olham para o seu bem estar, para o passado e para a realidade do presente.

Após a queda de Dilma, se o novo presidente fosse sério, não estivesse envolvido nesta lama de corrupção também; se este novo governo não ficasse somente nesta politica de querer onerar ainda mais o povo brasileiros, certamente, a corrupção praticada no governo Lula e Dilma se destacaria mais e o enfraqueceria, no entanto, o que vemos, a corrupção praticada por este governo, ainda que esteja interligada ao governo de Lula, se destacou a tal ponto que muitos brasileiros acreditam que Lula está sendo injustiçado. Enfim, Temer, conseguiu resgatar a imagem de Lula, fortalecendo-o ainda mais para as próximas eleições.

Evidentemente, há uma parte considerável da sociedade que tem como principio a honestidade do candidato, porém, ela não atinge os 50% necessário para eleger um candidato a presidente, isto fortalece ainda mais Lula, que somente não conseguirá ganhar a eleição de 2018 se houver a intervenção do Poder Judiciário, porém, isto é muito difícil de ocorrer pois,o Judiciário também está dividido e boa parte dos Ministros está preso no umbigo umbilical de Lula.


Ataíde Lemos 

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Pátria Mãe Gentil


Pátria Mãe Gentil

Pátria Mãe Gentil
O que está havendo?
Cadê o brado forte
Deste povo guerreiro!
O gigante está adormecido
E enquanto isto,
Os ladrões levam as riquezas
Saqueando a Nação.
Deixando os brasileiros
Com o pires na mão
Sem saúde, sem segurança
Sem educação.

Pátria Mãe Gentil
O que estão fazendo com a natureza
Esta beleza e grande riqueza!
Estão destruindo sem piedade
Com leis que incentivam
Ainda mais o desmatamento.

Pátria Mãe gentil
Desperta teus filhos
Acorda o gigante
Não permitas que siga avante
Este desmonte que vemos
Todos os dias ocorrer
E nada acontecer.

Ataíde Lemos 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A única arma que a população brasileira tem



Há coisas que detestamos ter que fazer, porém, são necessárias como, por exemplo, certos tipos de alimentos; tomar injeção ou as vezes, até que ter que suportar determinadas pessoas.  

Uma destas coisas que acredito a grande maioria das pessoas detesta fazer é ter que votar. Realmente, olhando para a realidade brasileira e para esta classe politica que temos nos da nojo, pois, temos uma classe politica podre que estão destruindo o País, sem o menor escrúpulo.

Vemos uma classe politica corrupta, coorporativa e que a cada dia vai sendo revelada pior do que imaginávamos. O triste é que esta situação está nos Três Poderes e vemos uma sociedade acuada sem  luz no fim do túnel.

 Nos noticiários das mídias, nas redes sociais  maioria do destaque é a corrupção com as manchetes: Policia Federal prendeu.... fez a operação... Enfim, é só corrupção com envolvimento de políticos. Presidente comprando políticos das mais diversas formas para fugir da justiça e políticos cobrando preços altíssimos do governo para defendê-lo. Preços estes que produzem enormes retrocessos sociais como, por exemplo, a nova Portaria sobre o trabalho escravo entre tantos outros.

Vemos os Estados quebrados, o funcionalismo recebendo seus salários em 2, 3 parcelas. O Rio de Janeiro um Estado completamente quebrado pela quadrilha que se instalou no Palácio das Laranjeiras. Enfim, é tanta corrupção, desgovernabilidade, mentiras deslavadas e a cara de pau dos políticos que grande maioria da população se sente enojada quando aparece um politico na televisão falando em moralidade. E pior, muitos destes políticos que estão de mãos dadas com o governo ou estão envolvidos em muitos processos de corrupção.

Porém, retorno ao primeiro paragrafo. Há coisas que nos das náuseas, mas somos obrigados a fazer e uma destas coisas é exercer o nosso direito de votar. Pois, a única saída para amenizar ou, pelo menos tentar, é mudar esta classe politicas; é mudar estas pessoas que hoje nos governa. Estes atuais políticos que estão no Poder não representa a grande maioria da sociedade e nosso silêncio; a  omissão de nosso direito que é a votar os favorece e os mantem no Poder.

Em suma, mesmo com toda a náusea que estamos da classe politica; embora, estamos enojados e desestimulados não podemos abrir mão de nosso direito. Na verdade, é isto que eles desejam, ou seja, que votamos em branco ou que anulamos o voto, ou ainda que abstenhamos de votar, porque assim, eles continuam no Poder. Portanto, ainda que perdemos a esperança de mudanças; ainda que não vejamos uma luz no fim do túnel o voto é uma saída, é a única arma que temos , ainda que remota esperança,  não podemos abrir mão dele.


Ataíde Lemos 

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Frase Politica

No regime democrático um presidente sem respaldo popular é um governo refém e sem respeito do parlamento sendo sangrado aos poucos até morrer. 

Ataíde Lemos 

Congresso Nacional que não representa o povo



Assisti a votação na Câmara dos Deputados sobre o encaminhamento ou não da denuncia de Presidente Temer ao STF. Foi um espetáculo de hipocrisia, mentiras, falsidade e um parlamento completamente desconectado com o que a sociedade pede e quer.

Muitas coisas na vida se negociam, porém, uma é inegociável que é moral. Moral é um Valor enraizado naquelas pessoas que possuem uma boa formação educacional dos pais e espiritualidade. Moral é um Valor que não se aprende na escola e que não se justifica de acordo com os meios. Enfim, moral e algo que os meios não justificam os fins.

Porém, no espetáculo de horror que foi a votação é preciso destacar que entre aquele bando de deputados sem ética, sem moral e comprados pelo governo, uma meia dúzia de deputados de fato em seu foto pode se ver que são pessoas de valores morais, não pelo seu voto de encaminhamento da denuncia, mas, pela forma e manifestação do seu voto. Uma meia dúzia de deputados que pôde-se ver na declaração dele um profundo sentimento de consonância com o povo brasileiro e com o que de fato eles possuem como principio de vida.

Muitos dos que venderam seus votos, certamente, terão uma surpresa nas próximas eleições, pois, eles tem uma pensamento errado e menospreza a integridade da sociedade. Acreditam que a imensa maioria das pessoas se vende por migalhas. Muitos acreditam que chegarão a suas bases eleitorais farão discursos retóricos e receberam como prêmio um novo mandato.

O dinheiro sujo pode até promover algum beneficio, mas, não compra a dignidade das pessoas. Ou seja, a venda do voto dos deputados por empenhos e dinheiros não comprará a consciência da imensa maioria do eleitorado, pelo contrário.


Não há governa idade em um governo que não possui apoio da sociedade. Portanto, o discurso de muitos deputados para justificarem seus votos apoiando o presidente para que não seja investigado pelo crime que cometeu contra o povo brasileiro, não encontrará respaldo pela maioria do povo brasileiro e eles pagarão o preço justo nas próximas eleições.

Ataíde Lemos 

quinta-feira, 27 de julho de 2017

O Brasil sem rumo e a democracia comprometida




O Brasil vive uma crise politica que compromete a democracia e isto é muito fácil de ser visto. Temos um presidente da republica com menos de 8% de aprovação popular, no entanto, extremamente forte politicamente com uma grande base parlamentar como também apoio no Judiciário.   

A pergunta é? Como um presidente sem apoio algum da população pode estar extremamente forte politicamente? A resposta é simples: temos um Poder Legislativo completamente envolvido em corrupção com um número expressivo de parlamentares capazes de mudar a Ordem do País, inclusive para promover leis de Emendas Constitucionais, alterando completamente a Constituição Federal, e certamente, estas mudanças encontram ressonância no Poder Judiciário, pois, o que mais estamos vendo é o Judiciário com raras exceções avalizando o governo e o legislativo.

Pode parecer  ficção para alguns, porém, acredito que as eleições de 2018 começam a ficar comprometidas, haja vista, que há uma enorme crise politica, aonde os Poderes constituídos, deixaram de lado o povo. Ou seja, tanto o Executivo quanto o Legislativo e mesmo parte do Judiciário estão unidos em defenderem suas peles e neste sentido, as eleições de 2018 será um desastre para os que estão envolvidos neste mar de corrupção.

A realidade atual é a seguinte: o Presidente está refém do Legislativo e o Legislativo do Judiciário. Esta é a grande questão que pode comprometer a democracia brasileira. Enfim, na atual situação politica em que o Brasil se encontra a democracia não está sólida, pelo contrário, está muito frágil.

A verdade é que o Brasil vive uma crise politica pior que a Venezuela com a diferença é que na Venezuela o Congresso é oposicionista, porém, o presidente tem nas mãos o Judiciário, já no Brasil o presidente tem o Congresso e parcialmente o Judiciário. Na Venezuela o povo está indo para as ruas e no Brasil o povo não, pois, se encontra totalmente desiludido e ainda, o país não vive a crise econômica em que vive o povo venezuelano. 

Outro fator que colabora para o aprofundamento da crise e fortalece um golpe na democracia é o desalento da sociedade. Ou seja, o povo cansou e está com total descredito na politica e nos políticos. Com todos que se fala a resposta é a mesma “os políticos são todos ladroes” ou “este País não tem solução”. As pessoas nem tem mais coragem e animo para se manifestarem, pois, não conseguem ver uma luz no fim do túnel e isto é tudo que atual classe politica deseja que é  uma sociedade dividida, sem reação e omissa.


Enfim, há um futuro muito sombrio para o Brasil que vai sendo desenhado desenhando dia após dia no cenário politico.

Ataíde Lemos  

sábado, 15 de julho de 2017

O Julgamento de admissibilidade na CCJC da Câmara Federal





Acompanhei a votação na Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Câmara Federal (CCJC) que discutia a admissibilidade ou não do processo contra o presidente Michel Temer pelo Supremo Tribunal Federal. Foi um espetáculo que em determinados momentos era cômico se não fosse trágico e uma coisa séria, em outros dava pena de ver até que ponto o ser humano (politico) se rebaixa tanto pelo Poder e pelo dinheiro não possuindo nada no que se diz ética e moral e ainda em outros momentos um maior entendimento da razão de muitos  detestarem a politica e os políticos. Enfim, assistir a sessão  na CCJC foi uma excelente aula de como é o mundo politico para que possamos sair da ignorância de quem é o politico e de fato tenhamos conhecimento de quem são estes personagens.

Primeiro: o politico não tem ética e nem moral, ou seja, pelo Poder e pelo dinheiro fazem qualquer negocio.

Segundo; o politico não tem lado definido, ele é um jogador do lado que está ganhando no momento e o que menos importa para ele é o pensamento da sociedade até o instante que dela (sociedade) precisar.

Terceiro; para o politico os meios justificam os fins, independente a sua consciência, isto é, para atingir seus objetivos vende sua alma para o demônio.

Evidentemente, este comportamento do politico é devido ao seu caráter que de certa forma, é o caráter do ser humano de uma maneira geral, ou seja, infelizmente, o ser humano na sua grande maioria é egoísta e para atingir seus objetivos é capaz de qualquer coisa e é por isso que existe a Lei, isto é, são as Leis que condicionam e freiam as ações das pessoas.

Voltando a sessão da CCJC o que se via lá! Os que eram favoráveis a admissibilidade do processo encontravam mil razões e milhares de argumentações plausíveis para aprovarem o encaminhamento do processo para o STF iniciar as investigações e o julgamento. No entanto, muitos deles se enfraqueciam pela atuação no processo de afastamento da ex-presidente Dilma, já que que foram ferrenhas em defenderem  a permanência dela na presidência.

Já os que defendiam Michel Temer, estes eram verdadeiros patéticos querendo justificar o injustificável, defender o indefensável. Estes ofenderam a inteligência dos brasileiros, rasgaram as mascaras que os cobriam suas caras e escaram para a sociedade seu verdadeiros caráter. Pois, a simplesmente, negação de investigar o presidente já os colocou do lado dele nas atitudes e ações, ou seja, negando a investigação anteciparam que são corruptos potenciais no mínimo.

Em suma, assistir a sessão da CCJC re, foi uma aula de cidadania ainda que, fosse como uma aula de anatomia, isto é, uma aula de dar nojo e para quem tem estomago forte. No entanto, foi uma aula de grande aprendizado para se conhecer de forma mais profunda quem é a pessoa do politico como também como é o ser humano quando a questão envolve Poder e o dinheiro.


Praticar a democracia por meio de voto é um direito que a sociedade não pode abrir mão dele. No entanto, é preciso conhecer as entranhas da politica e da personalidade do politico para que ao escolhermos candidatos não sejamos iludidos pela sua oratória e pelo dinheiro que está por trás dele e ter a consciência que ele na sua essência é ser corrupto (com raríssimas exceções). Ter também a consciência de que todo o bem que ele promover para a sociedade haverá sempre um interesse maior que não é a sociedade, mas sim, interesse pessoal ou para determinados grupos. Enfim, a sociedade precisa conhecer de como funciona o mundo politico em seu bastidor e a aula da CCJC foi importantíssima para nos ensinar que votar bem é necessário votar com a razão e não com a emoção. Ou seja, politica não pode ser paixão.

Ataíde Lemos